8 alimentos que ajudam a acelerar o metabolismo

A obesidade e o sobrepeso são consequências do consumo excessivo de alimentos altamente calóricos em relação ao gasto energético. Para que essa “balança” fique em equilíbrio ou positiva é necessário levar em conta no indivíduo seu metabolismo basal (ou de repouso), a termogênese alimentar e a atividade física. Nessas condições, os hábitos alimentares contam muito e alguns alimentos são capazes de ajudar o organismo a acelerar o metabolismo e favorecer o efeito termogênico.

Basicamente, existem dois possíveis caminhos para diminuir a gordura corporal: reduzindo a energia ingerida ou aumentando o gasto calórico. Uma das formas de aumentar o gasto energético é fazer com que o corpo gaste mais energia tentando equilibrar a temperatura corporal.

O que é termogênese

A termogênese ocorre quando a energia é liberada na forma de calor nos tecidos vivos. É um mecanismo natural que regula a temperatura do corpo (homeotermia). Em dias frios, por exemplo, o corpo gasta mais energia para manter determinada temperatura do que gastaria normalmente.

A termogênese pode ser metabólica, ou seja, ocorre naturalmente, ou pode ser estimulada por alimentos, por exemplo. Aqui ocorre uma ativação do Sistema Nervoso Simpático (SNS) que estimula a produção de calor além da Taxa Metabólica Basal – a energia mínima produzida para manter as funções vitais, como respirar.

O caminho entre estimular o SNS até a oxidação de gorduras (a “queima”) é longo e possui diversas etapas. Substâncias presentes em alguns alimentos são capazes de ativar ou inibir certos mecanismos que impedem ou favorecem a quebra de gordura, ou em termos médicos, a lipólise.

Alimentos mais eficazes em acelerar o metabolismo

Algumas pessoas podem ter um metabolismo mais lento, o que não significa que ele se manterá assim pela vida inteira. É possível fazer com que ele trabalhe mais e acelerá-lo significa fazer o corpo trabalhar mais energia para realizar a mesma tarefa.

Todos os alimentos gastam energia para serem digeridos, ou seja, têm a capacidade de acelerar o metabolismo. Alguns se destacam mais que os outros, pois induzem o metabolismo a trabalhar em ritmo acelerado, sendo classificados como termogênicos. É claro que sua ingestão deve estar aliada à prática de exercícios físicos e mudanças alimentares no geral, além disso, seu consumo deve ser orientado por um nutricionista, que determinará, segundo as características de cada indivíduo, a quantidade e frequência correta de ingestão. Veja alguns que separamos para mostrar a vocês!

Pimenta vermelha

A pimenta vermelha possui uma substância chamada capsaicina, responsável por aumentar a termogênese ao ativar os receptores beta-adrenérgicos e estimular o SNS por meio do aumento da secreção de catecolaminas (adrenalina e noradrenalina). O alimento é famoso por causar sudorese e rubor, e pode ser irritativo para algumas pessoas, por isso deve ser consumido com moderação.

Chá verde

O chá verde tem demonstrado muitos benefícios no auxílio à quebra da gordura (lipólise). A substância presente, a Epigalocatequina galato (EGCG) é estimuladora dos receptores beta-adrenérgicos, aumentando a liberação de catecolaminas, e inibidora da ação da enzima fosfodiesterase, responsável por desativar a queima de gordura.

Café

Substância muito conhecida, a cafeína presente no café tem uma estrutura muito semelhante à que está presente na membrana celular, a adenosina. Esta estimula a atividade de um hormônio responsável por favorecer a lipólise, o HLS (hormônio lípase sensível). Além disso, a cafeína é conhecida como estimulante do SNS, o que promove maior secreção de catecolaminas indutoras da lipólise3.

Gengibre

Tempero muito utilizado na culinária para proporcionar novos sabores às preparações, o gengibre tem conhecidas propriedades anti-inflamatórias. Algumas pesquisas sugerem que o gengibre pode ter propriedades termogênicas e ajudam a impulsionar o metabolismo. Acrescentá-lo na salada, nos pratos e até mesmo na água e nos sucos pode ser uma boa estratégia!

Chocolate amargo

Preste bem atenção, pois estamos falando do chocolate amargo, aquele com no mínimo 70% de cacau. A versão mais amarga é a que contém mais cafeína e, por isso, pode auxiliar no aumento do efeito termogênico corporal. Obviamente uma porção de 30 gramas não fará o trabalho sozinha, sendo assim, deve ser incorporada a uma dieta com outros alimentos potencialmente termogênicos5.

Canela

A especiaria não atua necessariamente em uma das vias que culminarão na lipólise, mas tem efeito vasodilatador, o que auxilia o fluxo sanguíneo, aumenta a temperatura corporal e melhora a circulação de nutrientes. Acrescente-a em alimentos como banana e maçã, além de agregar também ao chocolate quente, por exemplo. Meia colher de sopa por dia é o ideal.

Óleo de cártamo

Pesquisas sugerem que o óleo extraído das sementes da planta cártamo aumenta a atividade do tecido adiposo marrom, um tipo de gordura que contém mais mitocôndrias que a amarela e, por isso, tem a capacidade oxidativa dos lipídeos muito maior.  Além disso, parece estar envolvido na regulação de genes envolvidos na oxidação lipídica por ativar o receptor PPAR-alfa.

Laranja amarga

Conhecida pelo nome científico Citrus aurantium S., a fruta possui em sua composição a sinefrina, uma substância semelhante à efedrina. Esta é conhecida por ativar os receptores beta-adrenérgicos e aumentar o ritmo cardíaco. A sinefrina atua de forma parecida, inibindo também a fosfodiesterase e acelerando o metabolismo.

Gostou do post? Então acesse dietbox.me e leia muito mais sobre o assunto!

Anúncios

Faça um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s