Não se deixe enganar por esses cinco alimentos que (só) parecem saudáveis

Todo nutricionista sabe que se alimentar bem e de forma saudável pode até não ser tão complicado, mas que a correria do dia a dia faz com que muitos pacientes não consigam seguir a dieta recomendada. As desculpas são as mais variadas: tem aqueles que não têm paciência para ler os rótulos dos alimentos para fazer a escolha mais saudável, outros acham alguns alimentos muito caros e outros ainda, fazem algumas substituições que nem sempre são a melhor escolha.

Os vilões disfarçados

Há muito senso comum em torno dos alimentos que são saudáveis e os que não são. A internet pode ser uma grande vilã ou aliada neste sentido, já que há muita informação incorreta disponível online. Por isso, para que você possa ajudar os seus pacientes, veja abaixo essa lista de alimentos que parecem saudáveis, mas não são, e quais as melhores opções para substituí-los!

5 alimentos que enganam as pessoas no supermercado

1 – Barrinha de cereais

Elas geralmente são uma boa opção de lanche, já que possuem muitas fibras e são práticas de armazenar. Aliás, todas se apresentam ao mercado como uma opção saudável para o lanche. No entanto, as barras industrializadas quase sempre são uma bomba de açúcar, conservantes e sódio. Para saber qual indicar, examine o rótulo. As mais aceitáveis devem ter entre 3 e 5 gramas de fibra por porção.

Uma outra opção para quem busca um lanche saudável é tentar substituir as barras por frutas com poucas calorias, como maçã, por exemplo. As maçãs, assim como as barras de cereal, também são ricas em fibras, porém não possuem os conservantes e o excesso de açúcar.

2 – Iogurte

Os iogurtes industrializados utilizam bastante corante, além de gordura para aumentar a cremosidade e muito açúcar para adoçar. No fim, a grande maioria deles não é realmente iogurte, e sim, bebida láctea, basta ler no rótulo.

Prefira indicar iogurtes naturais, no máximo, adoçados com mel. Geralmente, esses também têm a quantidade recomendada de bactérias probióticas necessárias para o organismo, mas são muito mais saudáveis.

3 – Sucos de caixinha

Eles parecem saudáveis, mas, no fim, têm tanto açúcar quanto uma lata de refrigerante ou até mais. Novamente, os vilões aqui são os conservantes, corantes e o sódio, que em excesso pode sobrecarregar os rins.

Proponha serpre a ingestão de sucos naturais, que sempre serão mais saudáveis, apesar de, às vezes, poderem ser um pouco mais calóricos que um refrigerante. Para conservar o suco natural por mais tempo, misture-o com água de coco, que além de ser um excelente hidratante, retarda o processo de oxidação. Um dos sucos menos calóricos é o de acerola, que, sem açúcar, fica com em média 20 calorias para um copo com 200ml.

4 – Sopas industrializadas

Também costumam ter muito apelo light, mas, geralmente, são alimentos com quase nenhum valor nutricional. Novamente, a maioria tem muito sódio, o que favorece a retenção de líquidos.

Uma opção interessante é fazer uma sopa natural, com legumes e verduras comprados no supermercado e congelar para ter à disposição sempre que quiser. Experimente indicar uma combinação de batatas, cenoura e vagem: deliciosa, nutritiva e muito leve.

5 – Adoçante

Os adoçantes costumam mandar para o cérebro a mensagem de que se está ingerindo açúcar, o que acaba gerando vontade de comer doces. Além disso, os adoçantes mais comuns, como aspartame e sacarina, são artificiais ou sintéticos.

Procure orientar a remoção dos açúcares do cardápio ou, se seu paciente for realmente muito resistente, a substituição do açúcar normal por stévia. Este é um adoçante natural, sem calorias e com poder adoçante até 300 vezes superior ao da sacarose. O adoçante pode ser encontrado em lojas de produtos naturais.

E um bônus…

6 – Pão integral

Quando o pão é realmente integral, não há problemas. Porém, a maior parte dos pães industrializados usa parte farinha integral, parte farinha enriquecida com ferro e ácido fólico, que é basicamente a farinha branca.

Quando se trata de pães integrais, a regra de ouro é ler o rótulo. O primeiro ingrediente da lista é o que está em maior quantidade, portanto, não adianta o pão dizer que é integral quando a farinha integral vem em terceiro ou quarto lugar na ordem.

Conheça o seu paciente

Todo mundo gosta de sentir especial. Por isso, quando for recomendar uma dieta ao seu paciente, faça algo realmente personalizado e levando em consideração as comidas que ele mais gosta e o cotidiano que ele leva. Dessa forma, vai ser muito mais fácil convencê-lo a seguir a dieta e ter uma vida muito mais saudável!

Gostou do post? Então, continue lendo nosso blog e saiba tudo sobre nutrição e saúde!

Anúncios

Faça um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s