6 perfis de pacientes difíceis e como lidar com eles

Relações humanas são delicadas e independentemente da natureza do negócio, precisamos saber lidar com pessoas diferentes e ter muito equilíbrio e bom senso ao nos depararmos com alguns perfis. Na relação entre o nutricionista e paciente não é diferente. Existem os chamados pacientes “difíceis” e eles, de alguma forma, dificultam o tratamento e tornam o trabalho do profissional de nutrição mais complexo. Mas sempre tem um jeitinho de ter sucesso no tratamento, respeitando sua individualidade e encontrando a forma mais adequada de se relacionar.

Há vários tipos de pacientes difíceis: conheça os 6 mais comuns

As características dos pacientes difíceis variam muito e, para lidar com eles, você vai precisar de muita inteligência emocional porque cada um deles apresenta um desafio específico. Cada pessoa tem seus motivos para agir de determinada forma. Como profissional de saúde, descubra com que tipo de pessoa você está se relacionando e use ferramentas de controle emocional para cada uma delas.

1 – Pacientes que pensam que sabem mais

Esses pacientes, depois do surgimento do Dr. Google, se multiplicaram nos consultórios. Eles já chegam aos consultórios depois de muita pesquisas sobre os seus sintomas, dietas, tratamentos e remédios que serão utilizados. E quando você sugere um tratamento, diferente da expectativa que criaram, vem a frustração. Mantenha-se firme e demonstre segurança. Insista com paciência e utilizando como argumento todo o conhecimento científico aprendido durante anos de faculdade.

2 – Paciente que pede atenção demais

Alguns pacientes exigem mais atenção do profissional, são mais carentes e requerem mais tempo da sua atenção. Demonstre atenção, compaixão e trate-o com mimos. Converse carinhosamente e se mostre realmente preocupado com a situação dele. Ouça com a máxima atenção o que ele tem a dizer e o trate de forma a ganhar sua confiança. No entanto, é preciso respeitar os limites profissionais e saber quando interromper a conversa de forma educada e perspicaz.

3 – Paciente que exigente ao extremo

Este perfil é o do tipo de pessoa que simplesmente por estar pagando, espera resultados milagrosos e tratamento VIP. A melhor maneira de lidar com este perfil é se munindo de todo seu conhecimento, não economizando no compartilhamento de informações e sempre sendo o mais claro e objetivo possível. Se for questionado, responda com propriedade e confiança que todo profissional certificado e qualificado deve possuir. Geralmente, pessoas assim são muito desconfiadas, e o maior desafio é provar que você é capaz de fornecer um tratamento eficiente e próprio para o caso em questão.

4 – Paciente inseguro

Um pouco fragilizado, este paciente é vulnerável e ficou muito sensibilizado com a situação que lhe acometeu e que o fez procurar seu consultório. Mostre diversas opções e caminhos de tratamento para que ele vá se familiarizando aos poucos e ganhando segurança de que está no lugar certo. Quando ele se sentir mais forte, continue calmo e com paciência para esclarecer dúvidas e ganhar sua confiança.

5 –  Paciente questionador

Esses são mais comuns do que você imagina. Reclamam e questionam desde o momento que marcam a hora, passando pela consulta em si e até a hora de sair. Ouça com atenção e lucidez as reclamações, vejam quais têm realmente sentido e esclareça todos os pontos. Direcione a conversa para o que realmente interessa: a situação que o levou ao atendimento de um nutricionista. Sempre deixe-o falar e evite a postura defensiva.

6 – Relutantes de desobedientes

Estes se mostram bonzinhos e obedientes na consulta. Fingem que estão de acordo com tudo. Porém, na hora de cumprir o que foi recomendado, a situação  muda. Se você identificou um destes casos, o jeito é convidar para que ele venha acompanhado da próxima vez. Você terá que encontrar num familiar ou companheiro da pessoa um aliado. Essa pessoa é que vai ajudar a estimular o paciente a seguir o plano estabelecido e tornar este processo mais fácil.

Como se vê, lidar com pacientes difíceis não é nada fácil. Mas eles fazem parte do dia a dia dos profissionais de saúde. E com algumas doses de paciência, bom senso, respeito e resiliência, você vai se sair bem na tarefa de atendê-los.

Você já atendeu pacientes com algum destes perfis? Compartilhe sua experiência com a gente nos comentários!

Anúncios

Faça um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s