Conheça os principais pontos do Perfil Nutricional da Organização Pan-Americana da Saúde

A obesidade e o sobrepeso são considerados graves problemas de saúde pública e merecem uma atenção especial. Visando prevenir e controlar esses dois problemas, a OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde), juntamente com a OMS (Organização Mundial da Saúde), aprovou em outubro de 2014 o Plano de Ação para Prevenção da Obesidade em Crianças e Adolescentes. Como parte deste plano – que prevê ações até 2019 – foi apresentado este ano o documento Modelo de Per­fil Nutricional da Organização Pan-Americana da Saúde. Neste post, separamos os pontos mais relevantes deste documento para que você possa entendê-lo melhor.

O que é o modelo de perfil nutricional da OPAS?

No segundo semestre de 2014, o 53º Conselho Diretor da OPAS e os Estados Membros aprovaram o Plano de Ação para Prevenção da Obesidade em Crianças e Adolescentes. Esse plano determina que a OPAS forneça aos Governos da região das Américas as informações necessárias para a formulação de políticas e regulamentações fiscais tendo por objetivo evitar o consumo de alimentos não saudáveis. Foi então que surgiu o Modelo de Perfil Nutricional da OPAS, apresentado em 18 de fevereiro de 2016.

O modelo nutricional oferece informações e tabelas de classificação dos alimentos para a formulação de políticas e regulamentações que sirvam para a promoção de uma alimentação saudável. O documento foi desenvolvido com base em evidências cientí­ficas concretas, feitas por um grupo de autoridades reconhecidas no campo da nutrição. A OPAS acredita que a formulação desse modelo é um passo decisivo para a diminuição e prevenção da obesidade e do sobrepeso.

Qual o principal objetivo desse perfil nutricional?

O principal objetivo do perfil nutricional da OPAS é servir de instrumento para a classificação de alimentos e bebidas que contenham uma quantidade excessiva de sal, açúcar, ácidos graxos trans e gorduras totais e saturadas. Os países das Américas podem utilizá-lo para o planejamento e implantação de regulamentações que visem prevenir e controlar a obesidade e o sobrepeso. Ele também pode auxiliar na:

  • regulamentação da alimentação escolar;
  • categorização de alimentos a serem oferecidos a grupos vulneráveis da população;
  • restrição da promoção de alimentos e bebidas não saudáveis para crianças;
  • rotulação de advertências em embalagens;
  • definição de tributos que limitem o consumo de alimentos não saudáveis.

Quais os critérios para inclusão dos nutrientes críticos?

Os nutrientes críticos (sódio, açúcares livres, ácidos graxos trans e gorduras totais e saturadas) foram incluídos no perfil nutricional da OPAS com base nos MINPs (Metas de Ingestão de Nutrientes para a População) descritas pela OMS para prevenção da obesidade, sobrepeso e DNTs (Dieta, Nutrição e Prevenção de Doenças Crônicas). “Outros edulcorantes” (aditivos alimentares que dão sabor doce aos alimentos) também foram incluídos.

É importante ressaltar que os alimentos e bebidas incluídos no modelo são processados (produtos manufaturados com a adição de sal, açúcar ou outros ingredientes para conservá-los ou para torná-los mais saborosos) e ultraprocessados (formulações industriais preparadas com vários ingredientes).

Segundo a própria OPAS, não há motivos para os alimentos não processados (obtidos diretamente de plantas ou animais) ou minimamente processados (que foram submetidos a alterações mínimas pela indústria) estarem incluídos no modelo. As pessoas devem, na verdade, consumi-los regularmente, já que não possuem uma quantidade excessiva de um ou mais nutrientes críticos.

Como o perfil nutricional classifica os alimentos?

Com base na análise dos rótulos de alimentos e no seu alinhamento com as MINPs da OMS, o perfil nutricional da OPAS classifica os alimentos processados e ultraprocessados da seguinte forma:

  • contém excesso de sódio – se a razão entre o valor energético (kcal) de um alimento e a sua quantidade de sódio (mg) for igual a 1:1 ou maior;
  • contém excesso de açúcares livres – se o valor energético proveniente de açúcares livres for igual a 10% ou maior do que o valor energético total do alimento;
  • contém outros edulcorantes – se a lista de ingredientes do alimento tiver a presença de edulcorantes calóricos ou edulcorantes arti­ficiais ou naturais não calóricos;
  • contém excesso de gorduras totais – se o valor energético proveniente de gorduras totais for igual a 30% ou maior do que o valor energético total do alimento;
  • contém excesso de gorduras saturadas – se o valor energético proveniente de gorduras saturadas for igual a 10% ou maior do que o valor energético total do alimento;
  • contém excesso de gorduras trans – se o valor energético proveniente de gorduras trans for igual a 1% ou maior do que o valor energético total do alimento.

Como o modelo de perfil nutricional é implementado?

A implementação do modelo da OPAS obriga os alimentos pré-embalados a serem rotulados com a declaração do valor energético e do teor de sódio, açúcares totais, gorduras trans e gorduras totais e saturadas, além da presença de uma lista com todos os ingredientes contidos nos alimentos, incluindo edulcorantes. Quanto à composição nutricional, ela pode ser expressa “por porção”. Mas a OPAS recomenda que ela seja expressa “por 100 ml” ou “por 100 gr”.

Ficou com dúvida em algum ponto do Perfil Nutricional da OPAS? Então aproveite para escrevê-la nos comentários para que possamos ajudá-lo!

Anúncios

Faça um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s