Câncer X alimentação

Desde o Egito antigo (3000 a.C.) já são registradas doenças que se assemelham ao que hoje classificamos como câncer. A doença como causa de morte foi vista pela primeira vez na Europa a partir do século XVII, e desde então se observa um aumento na taxa de mortalidade, principalmente com o início da industrialização.

O câncer pode afetar diretamente as necessidades nutricionais do paciente, aumentando o risco de desnutrição, a depleção muscular e o gasto energético da pessoa. Além disso, alguns tratamentos podem inibir o apetite, causar náuseas e outros sintomas associados.

Abaixo listo algumas dicas para reduzir esses sintomas e aumentar a qualidade de vida de pacientes com essa patologia:

  • Náuseas: deve-se evitar alimentos com cheiro forte ou muito temperados, alimentos ricos em açúcar. Evitar também líquidos durante as refeições.
  • Constipação: Deve-se dar preferência a folhosos verde-escuro e se possível não retirar a casca e bagaço das frutas.
  • Diarreia: deve-se evitar o consumo de frutas com casca e folhosos verde-escuro. Evitar também o consumo de café, bebidas alcoólicas e laticínios. É permitido consumir maçã, goiaba e banana prata.
  • Alteração do paladar/ boca seca: Deve-se evitar alimentos muito secos e estimular o consumo de frutas cítricas para estimular a salivação. Aumentar o consumo de sopas, molhos e cremes.

O paciente com câncer que não apresenta nenhum desses sintomas deve preconizar uma alimentação saudável. Para isso pode-se utilizar como base os “10 passos para alimentação saudável”!

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação
  2. Utilizar óleo, gorduras, sal e açúcar em pequenas ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias
  3. Limitar o consumo de alimentos processados
  4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados
  5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriado e, sempre que possível, com companhia
  6. Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados
  7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias
  8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece
  9. Dar preferência, quando estiver fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora
  10. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais

O Guia Alimentar para a População Brasileira pode ser encontrado na íntegra nesse link:

http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.phpconteudo=publicacoes/guia_alimentar2014

 

Nutricionista Luiza Ferracini

CRN-2 12980

Mestranda em Ciências da Saúde pela UFCSPA

Nutricionista do Dietbox

Anúncios

Faça um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s