A Nutrição e o estilo de vida interferem na fertilidade?

Sim, e muito!

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define infertilidade como sendo a ausência de gravidez após um ano de relações sexuais regulares sem uso de contracepção. Cerca de 10% a 15% dos casais de todo o mundo apresentam infertilidade. Embora a maioria das pessoas joguem a culpa de não conseguir engravidar para mulher, os dados são claros e demonstram que tanto homens quando mulheres estão no patamar quando falamos de estatística de infertilidade .

Estudos já demonstram a influência de bons hábitos alimentares e estilo de vida no momento da concepção. O estado nutricional e o estilo de vida podem causar grande influência na fertilidade, tanto feminina quanto masculina. Diferentes estudos afirmam que o baixo peso (IMC menor que 19 kg/m2) e as condições de sobrepeso ou obesidade em mulheres (IMC maior que 25 kg/m2) estão associados a um aumento da infertilidade ou a desfechos gestacionais indesejados. Por Isso é importante manter o peso em equilíbrio para seu corpo e não só o peso na balança, e sim uma boa composição corporal com a distribuição adequada de massa magra e percentual de gordura

Quanto a alimentação, um conjunto de hábitos inadequados também pode afetar a saúde reprodutiva. A Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia indica que para as mulheres é possível que o consumo excessivo de cafeína (>250 mg), assim como o uso excessivo de álcool podem interferir na fertilidade. Para os homens, dietas ricas em carne vermelha, carne processada, derivados da soja, batatas, laticínios integrais, cafeína, chás, refrigerantes e doces podem diminuir a qualidade do sêmen. Além disso, a exposição ambiental aos contaminantes como alimentos ricos em metais pesados e elementos tóxicos, como o bisfenol A (BPA) encontrado em plásticos também podem estar associados a infertilidade.

A  notícia é que já é visto na literatura que dietas ricas em saudáveis alguns nutrientes tais como ácidos gordos ómega-3, alguns antioxidantes (vitamina E, vitamina C, β- caroteno, selénio, zinco,), outras vitaminas (vitamina D e de folato) e pobre em gordura saturada e de gordura trans são inversamente relacionado com parâmetros de qualidade de baixa sémen, por exemplo.

Quando as mulheres planejam engravidar, a primeira coisa que providenciam em sua maioria é a ingestão de ácido fólico, que é um nutriente fundamental para o desenvolvimento do bebê e precisam está adequado no momento da concepção. Porém, já podemos observar que o preparo para a gestação vai bem além disso. Posso citar outros nutrientes essenciais como A vitamina D, Magnésio e o ômega 3. Sem falar no seu intestino, pois a saúde intestinal é fundamental para a absorção desses nutrientes e saúde imunológica.

Então de forma resumida

  • O preparo para gestação deve ser do homem e a mulher
  • Adequem seu peso e composição de gordura e massa magra
  • Cuide do seu intestino
  • Coma comida de verdade, inserindo variedade na sua alimentação e alimentação mais natura possível com preferência nos produtos orgânicos
  • Fuja dos alimentos ultraprocessados, ricos em gordura saturada e trans
  • Procure um profissional especializado e prepare-se para o momento da Gestação.

 

Dayanna Joyce Marques Queiroz

Mestre em Ciências da Nutrição

Especialista em Saúde Materno infantil

Instagram: @dayannaqueiroz

                 @nutrirjp

Deixe uma resposta