APLV (Alergia à Proteína do Leite de Vaca)

A APLV está se tornando mais frequente nos últimos anos, esse aumento de casos ocorre devido a inserção precoce do leite de vaca e seus derivados, estes devem ser apresentados às crianças após o primeiro ano de vida. Com o diagnóstico confirmado surge uma dúvida, a mãe deve parar de amamentar? a resposta sempre será NÃO. Com a restrição alimentar da nutriz a amamentação pode ocorrer normalmente e assim o bebê não precisara da utilização de fórmulas infantis, trazendo benefícios a mãe e ao seu filho.

A restrição alimentar dos indivíduos envolvidos deve ser acompanhada adequadamente, já que a indústria alimentícia não facilita a identificação de ingredientes lácteos, utilizando diversos nomes para os mesmos. Durante o início da alimentação complementar a família pode ficar com dúvidas sobre o que pode ou não pode, são períodos muito importantes para o crescimento e desenvolvimento da criança e para o tratamento da alergia que deve ter em média 8 semanas, alguns profissionais utilizam um tempo maior de restrição alimentar, que vem se mostrando eficaz para a remissão da alergia.

Algumas crianças podem precisar da utilização de uma fórmula infantil, a escolha desta deve ser feita com cuidado, uma fórmula inadequada pode prorrogar a alergia ou até mesmo piora-la, faz-se necessário uma fórmula extensamente hidrolisada, fórmulas hipoalergênicas não são totalmente adequadas. Existe em algumas cidades programas que auxiliam os pais a obter as fórmulas adequadas, o conhecimento sobre programas, alimentos ou marcas que facilitem o tratamento é de suma importância para o Nutricionista e para o paciente podendo auxiliar e melhorar o tratamento visando sempre a recuperação total da criança.

 

Angélica C. Marcelino

CRN 10- 5520

 

Instagram: @angélica.nutricionista

Facebook: Angélica Nutricionista

Deixe uma resposta