Jejum Intermitente como alternativa para perda de peso

Jejum Intermitente é um tipo de padrão alimentar na qual o indivíduo alterna-se em períodos de jejum e alimentação. Existem algumas formas de aplicar o Jejum Intermitente. Algumas delas são:

  • Método 16/8 – aonde o indivíduo passa dezesseis horas sem comer e um período de oito horas para se alimentar  (MORO et al., 2016);
  • Jejum em dias alternados – método na qual o paciente jejua por vinte e quatro horas e volta a se alimentar normalmente nas outras vinte e quatro horas;
  • Método 5:2 – o praticante se alimenta por cinco dias e faz jejum por dois dias seguidos (VARADY, 2011).

No geral, os pacientes acham difícil seguir um regime alimentar, pois requer uma contagem de calorias vigilante diariamente. Por isso, para alguns indivíduos o Jejum Intermitente é mais fácil de aderir do que outros tipos de dieta e pode ser considerada uma alternativa no combate à obesidade e doenças relacionadas a ela. Os estudos recentes, realizados em humanos, sugerem que o jejum intermitente é eficiente para redução de peso, incluindo benefícios como melhora do metabolismo da glicose, saúde cardiovascular e manutenção de massa magra (LIMA et. al., 2019).

Esta técnica deve ser aplicada de forma individualizada, pois existem muita resistência quando se trata de uma mudança radical na mudança dos hábitos alimentares, porém quando se segue o Jejum o paciente mostra uma perda de peso significativa e redução de circunferência da cintura e de percentual de gordura (VARGAS; PESSOA; ROSA, 2018).

Esta visão geral sugere que dietas de Jejum Intermitentes pode ser uma abordagem promissora para perda de peso e melhora da saúde metabólica para pessoas que podem tolerar com segurança intervalos de jejum ou alimentação de forma reduzida, por algumas horas do dia, noite ou dias da semana (LIMA et. al., 2019).

O Jejum Intermitente demonstra ser eficaz na manutenção do peso corporal sem a necessidade de exercícios físicos, eficaz na redução de triglicerídeos, e redução nos níveis séricos do colesterol, especialmente no sexo feminino. (REIS et al., 2019). Além disso, o Jejum Intermitente também mostra ser benéfico para os pacientes que possuem doenças crônico-degenerativas e praticantes de esportes, apesar de não existir muitos estudos sobre a área. Isso faz com que esse método seja acessível a vários perfis de pacientes (SANTOS et al., 2017). 

Todo mundo pode fazer jejum intermitente?

Porém, deve ser levada em consideração que essa não é uma estratégia que se aplica a TODOS os indivíduos, pois deve existir um tempo de adaptação individual e necessidade de mudanças no estilo de vida do paciente, uma vez que, a adesão à dieta é o fator importante para o sucesso dos resultados e para manter a perda de peso em longo prazo. (LIMA et. al., 2019).

Estudos sugerem que o Jejum Intermitente pode ser benéfico para a saúde geral e o bem-estar. No entanto, não há uma formulação com recomendações dietéticas práticas baseadas em evidências. A dieta do jejum é atualmente popular, porém, os indivíduos que desejam adaptar-se ao Jejum Intermitente como uma estratégia nutricional consistente, devem saber que há escassas pesquisas sobre sua influência em longo prazo sobre a saúde geral (LIMA et. al., 2019).

Nutricionista:  Cynthia de Andrade Borges – CRN: 30006/P

Facebook: /cynthiadeandradenutri

Instagram: @cynthiadeandradeborges

*O texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete a opinião da empresa. O blog é aberto caso outro(a) profissional queira escrever um contraponto.

Cadastre-se Grátis no Dietbox

Deixe uma resposta