Rastreamento metabólico: o que é, como funciona e como fazer!

A Nutrição Funcional, quando aplicada à prática clínica, permite que o nutricionista considere as individualidades dos pacientes a fim de propor a eles os melhores alimentos (assim como as quantidades e hábitos adequados) para mantê-los saudáveis e capazes de conquistar seus objetivos. Assim, para conhecer o perfil de cada pessoa, recomenda-se a realização de rastreamento metabólico.

Ótimo método para auxiliar a execução de uma boa anamnese, o rastreamento propõe a aplicação de um formulário que reúne questões importantes a respeito de saúde e de quaisquer sintomas atípicos relacionados a problemas do organismo que podem ser solucionados com mudanças alimentares.

Quer entender melhor como ele funciona para aplicar as principais estratégias envolvidas às suas consultas? Então, continue a ler nosso artigo a seguir!

O que é rastreamento metabólico?

O rastreamento consiste em uma técnica que dá ao nutricionista a possibilidade de compreender o funcionamento do organismo de seus pacientes antes da primeira consulta, por meio da aplicação de um formulário completo.

No formulário, estão contidas questões relacionadas a sintomas e quaisquer sensibilidades que possam estar ligadas à alimentação.

Após o nutricionista ler as respostas dadas, a anamnese em consultório tende a ser melhor executada — com conhecimentos prévios sobre o indivíduo — e evita que a sessão seja muito demorada, otimizando o tempo de ambos.

Saiba Mais sobre Rastreamento Metabólico e Nutrição Funcional em um artigo especial que preparamos para você. Acesse o conteúdo aqui

Como funciona o rastreamento?

A técnica demanda a criação de um questionário que mapeia a saúde do indivíduo a partir da avaliação sintomática dele em todos os sistemas do corpo, ou seja, são mencionados, além dos aspectos digestivos e endócrinos, os cardiovasculares, nervosos, respiratórios, sensoriais, linfáticos, urinários, excretores, reprodutores e musculares.

O objetivo, afinal, é propor o plano alimentar mais adequado às peculiaridades e necessidades apresentadas por cada pessoa.

Como fazer?

Para a realização do rastreamento metabólico, devem ser solicitados os dados pessoais do paciente, como nome e formas de contato. Em seguida, o profissional de Nutrição pode criar a sessão de perguntas, segmentadas de acordo com os sistemas corporais.

A cada sintoma, é fundamental relacionar uma escala de pontos de 0 a 4, na qual cada número representa o seguinte:

0. Nunca ou quase nunca teve o sintoma;
1. Ocasionalmente teve, efeito não foi severo;
2. Ocasionalmente teve, efeito foi severo;
3. Frequentemente teve, efeito não foi severo;
4. Frequentemente teve, efeito foi severo.

Dentre os questionamentos que podem ser levantados, estão dores de cabeça, flatulência, prisão de ventre, azia, insônia e tontura.

Cada um deles — avaliado em conjunto com idade, hábitos e histórico do paciente — ajuda no diagnóstico de condições que mereçam um olhar mais atento, tanto do nutricionista quanto de médicos, aos quais seja necessário recorrer a fim de investigar os sintomas.

Para encaminhar o formulário ao paciente, recomenda-se que o nutricionista utilize o e-mail ou aplicativos como o Dietbox, um software completo de Nutrição que permite todo o acompanhamento de cada indivíduo.

Não à toa, a Nutrição Funcional é considerada uma grande aliada de quem procura ter uma vida mais saudável. A partir do auxílio de métodos como o rastreamento metabólico, o paciente é ainda mais beneficiado e passa a dispor, apoiado por seu nutricionista, de um plano alimentar ideal e das orientações necessárias para ter mais qualidade de vida e bem-estar.

Gostou do nosso artigo e deseja ler mais conteúdos como este? Então, assine nossa newsletter e receba textos novos diretamente em sua caixa de entrada!

Deixe uma resposta