Veja 4 passos para elaborar um plano alimentar personalizado

Entre as práticas cotidianas do nutricionista está a elaboração de um plano alimentar personalizado. O profissional deve criar uma estratégia alinhada ao quadro e aos objetivos de cada paciente — fatores observados durante o atendimento. No entanto, sabemos que essa nem sempre é uma tarefa tão simples, já que envolve cálculos, escolhas inteligentes, enfim, bastante tempo e esforço para entregar algo de qualidade àquela pessoa que buscou o consultório

A boa notícia é que, felizmente, existem algumas dicas que ajudam a otimizar o trabalho do nutricionista, permitindo a criação mais ágil e eficiente de um plano alimentar personalizado. Quer saber mais sobre o que estamos falando? Então, continue conosco na leitura do post!

1. Conheça a rotina do paciente

O atendimento no consultório, para ser de qualidade, deve envolver uma anamnese completa. Isso quer dizer não só verificar as medidas corporais, entre outros dados importantes do paciente, como também conhecer mais sobre a sua rotina, hábitos e costumes alimentares. 

Somente entendendo como ele se comporta em seu cotidiano é que será possível fazer as melhores escolhas e montar um plano alimentar personalizado. Sendo assim, aproveite esse momento para perguntar, além do que já mencionamos, se o paciente faz alguma atividade física, pratica algum esporte, dorme uma quantidade de horas satisfatória por noite, tem alergias ou intolerâncias (glúten, lactose), usa algum medicamento, bebe álcool ou fuma etc. 

2. Entenda as suas necessidades

O que o paciente busca ao se consultar com você? Saiba que sempre há um ponto-chave de partida: ele quer perder peso, sente a necessidade de viver uma vida mais saudável, apresenta uma condição de saúde e precisa seguir uma alimentação restrita, pratica esportes ou treina e deseja obter melhores rendimentos.

São vários os objetivos que levam uma pessoa a buscar o trabalho de um nutricionista. Conhecê-los é fundamental para conseguir montar o plano alimentar personalizado da maneira mais eficaz possível. Escute tudo o que o paciente tem a dizer e pergunte se ele já se consultou com um nutricionista antes — caso a resposta seja positiva, o que aconteceu para que os resultados desejados não fossem alcançados. 

Cadastre-se Grátis no DietboxPowered by Rock Convert

3. Conte com um programa para nutricionista

Se o seu consultório ainda não é adepto dos softwares de nutrição, chegou a hora de repensar essa atitude, tendo em vista que eles são cruciais na hora de montar um plano alimentar personalizado. Isso porque permitem que o trabalho seja feito de forma mais rápida, sem perder a qualidade. Ou seja, é possível entregar soluções de qualidade para os pacientes, atender um número maior de pessoas e, ainda, fidelizá-las. 

Existem vários programas para nutricionista disponíveis hoje no mercado. No entanto, no final do post, falaremos mais sobre como o Dietbox será o seu principal aliado. 

4. Acompanhe o cumprimento do plano alimentar personalizado

O atendimento ao paciente definitivamente não termina quando ele sai do seu consultório com o plano alimentar personalizado em mãos. É preciso criar estratégias a fim de manter a sua adesão ao plano, fazendo com que ele obtenha os resultados que deseja.

Em outras palavras, os momentos que sucedem o atendimento são preciosos — e você deve tirar deles uma oportunidade de conquistar a confiança do paciente e, assim, engajá-lo e fidelizá-lo. Quando se usa um software para nutricionista, é possível manter um canal aberto de comunicação com o cliente via chat, tirando suas dúvidas em tempo real, enviando dicas valiosas e fazendo um acompanhamento de primeira. 

Viu só como criar o plano alimentar personalizado se torna mais fácil com as dicas e com o auxílio de um software para nutricionista? Uma das funcionalidades do Dietbox é justamente essa: listas de alimentos completas, cardápios e até mesmo receitas inclusas no banco de dados para otimizar o trabalho do profissional, que pode fazer alterações de acordo com o quadro de cada paciente. Além disso, não é preciso se preocupar com cálculos — o que gera economia de tempo e mais possibilidades para focar em um atendimento de qualidade.

Gostou das dicas? E se disséssemos que temos mais? Aprenda também a montar um plano alimentar em 10 minutos!

Deixe uma resposta