Vício: Não importa se é de açúcar ou cigarro, respeite seu paciente e ajude!

É muito simples para nós ensinarmos os pacientes que não deveriam comer doces com muita frequência, mas já existe estudos mostrando que o açúcar pode ser mais viciante que a cocaína, logo, se a pessoa tem esse vício, não devemos só educar, devemos ajudar a sair dessa. Afinal, um fumante sabe que não deveria fumar, mas não para porquê?! Porque geralmente sente prazer e controle de ansiedade no momento de fumar, e o que acontece com a ingestão do açúcar? O mesmo.

Então só educar não adianta, precisa realmente tratar como um vício e junto com o paciente encontrar melhores soluções para a redução da frequência!

Segue abaixo algumas estratégias para auxiliar nesse momento:

  1. Deixar o paciente consciente da frequência: uma das técnicas que uso é pedir para que ele (a) tome 1 copo de água toda vez que sentir vontade de comer doce, mesmo que vá comer depois, mas antes tomar a água! Isso deixa a pessoa consciente da frequência e pode reduzir volume.
  2. Reduzir a frequência: Se tem o hábito, por exemplo, de comer após as refeições principais (almoço e jantar), passar para apenas uma destas refeições;
  3. Apreciar o momento: Ensinar a deixar o alimento mais tempo na boca (como ir dissolvendo o chocolate), isso fará com que o volume seja reduzido.

É muito importante para nós, nutricionistas, ouvir e educar os pacientes e não apenas excluir os alimentos, dar todo o embasamento para que a pessoa entenda dos malefícios do consumo excessivo de doce e assim consiga controlar esse vício!

 

Por Mariane Capelão – Nutricionista Esportiva Funcional e Coach de saúde

WhatsApp: (11)97668-6067

Instagram: @maricapelao

 

*O texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete a opinião da empresa. O blog é aberto caso outro(a) profissional queira escrever um contraponto.

Cadastre-se Grátis no DietboxPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta