Você já ouviu falar sobre a Levedura Nutricional?

Conhecida popularmente como “Levedura Nutricional” ou “Nutritional Yeast” de nome científico Saccharomyces cerevisiae,  é uma forma inativa de levedura, geralmente produzida a partir da cana de açúcar. Uma vez que a levedura cresce, ela é aquecida e seca o que torna permanentemente desativada. Diferente das que são usadas na fabricação de cervejas. Após esse tratamento térmico, ela é lascada e embalada para o consumidor encontrada na forma de flocos ou em pó.

Têm um valor nutricional é surpreendente, alto valor de proteínas, um bom perfil de aminoácidos sendo ricas treonina em lisina, e destaca-se pela grandeza de vitaminas de complexo B, principalmente Tiamina, Ácido Fólico, Cobalamina (B12), Riboflavina, Niacina e Ácido Pantotênico. Fonte de minerais como zinco, ferro, cálcio e magnésio. Existe ainda uma quantidade razoável de ergosterol, o que a torna numa excelente fonte de vitamina D.

É rica em fibras solúveis do tipo β-glucanas que são os polissacarídeos constituintes estruturais da parede celular de leveduras, obtidas a partir da fermentação Saccharomyces cerevisiae. Essas fibras aumentam a viscosidade do bolo alimentar, diminui a digestão e absorção de carboidratos, limitando o aumento da glicemia pós-prandial. Em associação com uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis, auxiliam na redução do de LDL colesterol no plasma sanguíneo.

A Levedura Nutricional confere aos alimentos um sabor azedinho, semelhante ao queijo, e pode ser adicionada a diversas preparações como saladas, molhos, sopas, recheios, snacks, entre outras receitas, ressaltando o sabor dos alimentos e conferindo-lhes aspecto cremoso.

Considerada um superalimento por seu amplo conteúdo nutricional, sabor e benefícios ao organismo, pode ser usada para complementar a prescrição de pacientes, incluindo aqueles com restrições alimentares e/ou deficiência de micronutrientes, também é indicada como suplemento para vegetarianos e veganos devido às altas concentrações de vitaminas, sobretudo, cobalamina (B12) e por não conter nenhum produto de origem animal.

 

Nutricionista Thaísa Soares de Oliveira

CRN 3 56853

E-mail : thaisasoaresnutri@gmail.com

Contato: (12) 988530040

Instagram: @nutri.thaisasoares

 

Referências:

Soares A, Monassa JM. O emprego da Levedura na Indústria.  Revista Eletrônica de Graduação do UNIVEM [REGRAD] n. 1 2014 UNIVEM. P 144-159

Silva CC. Avaliação do uso de leveduras (Saccharomyces cerevisiae) inativa e hidrolisadas nas dietas iniciais em leitões.[internet] Pirassurunga.2009. Disponível em:  https:// teses.usp.br/teses/disponi veis/74/74131/tde-12042010-142351/publico/ME3456237.pdf

Sprada GM, Hans G, Bileki CLM. Visão retrospectiva em fibras alimentares com ênfase em beta-glucanas no tratamento do diabetes. Braz. J. Pharm. Sci.  [Internet]. 2009  Mar [cited  2019  Nov  12] ;  45( 1 ): 11-20. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.ph p?script=sci_arttext&pid=S1984-82502009000100003&lng=en.

 

*O texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete a opinião da empresa. O blog é aberto caso outro(a) profissional queira escrever um contraponto.

Deixe uma resposta