[Webinar] Como realizar a avaliação antropométrica de seu paciente?

Uma grande dúvida dos nutricionistas, principalmente no início da profissão, é sobre o momento da avaliação física. Sabemos que é uma parte muito importante da consulta, pois dependemos destes resultados muitas vezes para fechar o diagnóstico nutricional. Porém, surgem as dúvidas: qual método escolher? Qual o mais fidedigno? Será que estou realizando da forma correta? Entre outras… Por isso, decidimos trazer um pouquinho mais de informações para ajudar a clarear o assunto!

Bioimpedância: 

A antropometria por bioimpedância é realizada por uma balança específica para este fim, ou, com auxílio de eletrodos. Este procedimento mede a composição corporal através da liberação de uma baixa corrente elétrica no corpo. Essa corrente irá circular pelo líquido do tecido muscular, mas encontra resistência do tecido adiposo, ou seja, gordura. A partir disso, é possível calcular o percentual de gordura, massa magra e outros componentes corporais – que pode depender de cada balança. 

Para exemplificar o funcionamento da impedância, trazemos aqui informações do próprio Manual de Instruções da Balança OMRON: “Os músculos, o sangue, os ossos e os tecidos do corpo que contêm quantidades elevadas de água conduzem facilmente a eletricidade. Por outro lado, a gordura corporal não armazena muita água, portanto tem pouca condutividade elétrica.”

Para que o procedimento não tenha nenhum viés, é necessário seguir algumas recomendações, como: 

  • Não realizar aferição pós exercícios físicos
  • Não realizar aferição pós ingerir bebidas alcoólicas (recomendado não ter ingerido já no dia anterior)
  • O consumo de água/bebidas em geral deve ser pausado até 2h antes da consulta
  •  Evite comer até 4h antes da consulta
  • Grávidas não devem realizar o exame
  • Pessoas que utilizam marcapasso ou outros dispositivos médicos implantados não devem realizar o exame

Dentre as vantagens da bioimpedância, podemos citar sua portabilidade, ou seja, a balança é prática para levar à outros locais de atendimento caso necessário; rapidez; não é um método invasivo; seguro para repetidas mensurações, ou seja, não depende do avaliador – dessa forma pode ser interessante caso outro profissional avalie o paciente também. Suas desvantagens se encontram nos protocolos que devem ser seguidos para uma correta avaliação, como a limitação de hidratação e de ingestão alimentar.

Pregas cutâneas:

As medidas das dobras cutâneas baseiam-se no fato de que aproximadamente metade do conteúdo corporal total da gordura fica localizada nos depósitos adiposos existentes diretamente debaixo da pele, ou seja, a gordura subcutânea. Alguns autores, como Lohman por exemplo, afirmaram que um dos meios mais práticos para a avaliação da composição corporal é o uso das dobras cutâneas, isso porque 50 a 70% da gordura corporal está localizada de forma subcutânea, e algumas destas dobras possuem relação com a adiposidade total do organismo.

Dependendo do protocolo escolhido, as pregas exigidas podem mudar, mas normalmente são utilizadas de 2 a 8 pregas. As que aparecem com maior frequência na literatura e que atendem às necessidades da grande maioria das equações preditivas de gordura corporal são: tríceps, subescapular, bíceps, axilar média, torácica ou peitoral, supra-ilíaca, supra-espinhal, coxa e panturrilha medial. 

Vale lembrar que é necessário escolher o protocolo correto para cada tipo de paciente de acordo com sua faixa etária. Alguns protocolos também levam em consideração a população de estudo, como é o caso de Petroski, que considerou características brasileiras. Dentre suas vantagens, podemos citar a rapidez na execução, é um método pouco invasivo e de custo operacional baixo. Porém, suas desvantagens encontram-se associadas ao treinamento do avaliador (neste caso, é necessário que seja feito por um profissional treinado) e a calibração do adipômetro.

Independente do método escolhido, saber escolher o protocolo para cada paciente é fundamental. Além disso, analisar as vantagens e desvantagens de cada um pode ser um fator que lhe auxilie na tomada de decisões. Se você tiver alguma dúvida, escreva para a gente! Ficaremos felizes em lhe ajudar!

Bibliografia: https://www.sanny.com.br/dobras-cutaneas 

É sobre isso que fala o vídeo da nossa nutricionista, Luiza Ferracini, que tem como objetivo auxiliar profissionais a escolherem o método mais adequado para o seu tipo de atendimento.

Cadastre-se Grátis no Dietbox

Deixe uma resposta