fbpx

Ebook de receitas: aproveitamento integral dos alimentos

Afinal, qual a importância do aproveitamento integral dos alimentos? Bom, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, 2013), 1.3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçados anualmente, e não só causam grandes perdas econômicas, como também graves impactos nos recursos naturais, dos quais a humanidade depende para se alimentar.  Estimativas demonstravam que o montante de 1,3 milhões de toneladas de alimentos perdidos ou desperdiçados representava um custo irrecuperável da ordem 750 bilhões de dólares por ano. (FAO, 2013). O aproveitamento integral dos alimentos é uma estratégia para diminuir este desperdício. 

Além disso, utilizar partes não convencionais dos alimentos como cascas, folhas e talos também pode trazer maior variedade de nutrientes e sabores na alimentação para sair da monotonia das refeições diárias e diminuir custos. Essa prática é tão importante que foi discutida com a FAO e o governo brasileiro, assim foi criado o comitê técnico de perdas e desperdício de alimentos, está como um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, faz parte do acordo de paris, assim como do Plano da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos para a Segurança Alimentar e do Nutrição e Erradicação da Fome 2025. Podemos ver assim, a dimensão que tem esse tema, todo esse processo está ligado ao consumo consciente promovendo maior sustentabilidade. 

Quais são os benefícios do aproveitamento integral dos alimentos? 

Aderindo a esse hábito em seu dia a dia pode lhe resultar em menos gastos com alimentação, maior variedade de preparações para sair da monotonia na cozinha, lhe garantindo maior quantidade de nutrientes e sabor. Além disso, está cooperando com o planeta, promovendo maior sustentabilidade. 

Quais são os alimentos que podem ser aproveitados integralmente? 

Banana:  

  • Partes comestíveis não convencionais: casca, fruto e coração da bananeira. 
  • As folhas podem ser utilizadas para envolver alguma preparação e cozinhá-la. 

Abóbora:

  • Partes comestíveis não convencionais: casca, sementes e flores. 

Cenoura:

  • Partes comestíveis não convencionais: casca, folhas 

Esses são alguns exemplos, mas existem muitas mais possibilidades. As PANC´s são um bom exemplo da diversidade de alimentos que poderiam ser utilizados em nossa alimentação, mas por não serem parte de nosso hábito acabam não sendo aproveitados. Dentro do grupo das plantas alimentícias não convencionais, também entram partes de plantas que não costumam ser consumidas, como as folhas de cenoura e a casca da banana. (Links internos do blog sobre PANC´s que podem ser colocados nesse texto:

Que tal começar a inserir esse hábito na rotina para evitar o desperdício? 

Como fazer o aproveitamento integral dos alimentos? 

O aproveitamento integral dos alimentos visa utilizar o máximo do alimento possível. Para começar a realizar esta prática o primeiro passo é verificar quais partes que, normalmente, você jogaria fora podem ser utilizadas em receitas. O restante das frutas, verduras e hortaliças que não forem para preparações culinárias pode ser colocado em uma composteira para se tornarem adubo para plantas. Além disso, ter uma boa organização das preparações da semana evita o desperdício daqueles alimentos que ficam esquecidos na geladeira. Em nosso E-book sobre Aproveitamento Integral dos Alimentos você encontra diversas receitas deliciosas utilizando cascas, talos e folhas. Trago aqui um spoiler:

Receitas de aproveitamento integral dos alimentos: 

Bolo de casca de abóbora com calda de chocolate 

INGREDIENTES:  

Massa:  

– 1 e ½ xícaras de chá de farinha de trigo  

– 2 xícaras de chá de açúcar  

– ¾ xícara de chá de maisena  

– 3 ovos  

– 1 xícara de chá de óleo  

– 2 xícaras de chá de casca de abóbora picada  

– 1 colher de sopa de fermento em pó  

Cobertura:  

– 4 colheres de sopa de leite  

– 4 colheres de sopa de chocolate em pó ou cacau  

– 4 colheres de sopa de açúcar  

PREPARO:  

Massa:  

1. Bata no liquidificador as cascas, ovos e óleo  

2. À parte, peneire numa tigela a farinha, maisena, açúcar e fermento  

3. Junte a mistura do liquidificador e misture bem  

4. Unte uma assadeira média com manteiga e farinha, despeje a massa e leve para assar em forno médio.  

Cobertura:  

1. Misture todos os ingredientes e leve ao fogo até ferver e reserve  

2. Depois do bolo assado, espalhe a cobertura por cima e deixe esfriar. 

Confira o E-book para muito mais! 

Deixe uma resposta