Influência da microbiota humana como fator para desenvolvimento de diferentes tipos de cânceres

No corpo humano há dez vezes mais microrganismos do que células humanas e ambos se encontram em simbiose. O conjunto desses microrganismos residentes é denominado microbiota, enquanto que sua função e interação exercida denomina-se microbioma.

A relação entre a diversidade da microbiota humana e suas interações no organismo tem sido alvo de muitos estudos científicos nos últimos anos, principalmente no que se refere ao surgimento de diferentes tipos de doenças, como o câncer, por exemplo.

Você conhece a relação entre o câncer e a microbiota no organismo?

O câncer é uma doença multifatorial que tem intrínseca relação com o processo de inflamação, ao passo que a microbiota é responsável pela defesa do organismo e controle da inflamação sistêmica. Quando há o desequilíbrio em sua composição (disbiose), subprodutos metabólicos, endotoxinas bacterianas e aumento de suas atividades enzimáticas promovem inflamação crônica no microambiente e em nível sistêmico e induzem alterações no DNA, desencadeando patologias como o câncer.

A relação entre a disbiose microbiana com a ocorrência de câncer já pode ser comprovada através de estudos, sendo a composição dessa microbiota capaz de influenciar no desenvolvimento e progressão da carcinogênese em diferentes órgãos como, por exemplo:

  • intestino
  • pâncreas
  • pulmão
  • mama
  • estômago
  • esôfago
  • trato urogenital.

A teoria é que a carcinogênese inicie através de mecanismos diferentes e variados, que envolvem migração de células imunes inata e adaptativa, vias endócrinas e neurais, translocação de bactérias ou produtos bacterianos, e modulação do processo de inflamação sistêmica e do estresse oxidativo.

Os estudos utilizados para este artigo demonstraram que em todos os tipos de cânceres relatados, a alteração do microbioma associada a fatores externos ou internos, apresentou relação direta com o processo de inflamação crônica. Tendo o câncer intrínseca relação com o processo inflamatório, justificaria a influência da microbiota no surgimento de diferentes tipos de cânceres, porém ainda não há como concluir se o processo de carcinogênese se deve à presença de bactérias no ambiente inflamatório tumoral ou se as mesmas são responsáveis por induzir o processo de inflamação e, consequentemente, a  carcinogênese.

Dessa forma, os benefícios da modulação da microbiota são diversos e podem ser alcançados a partir da ingestão regular ou suplementar de prebióticos e probióticos, com objetivo de alterar a composição promovendo diversidade da microbiota.

O aumento da imunidade sistêmica, através do aumento do número de microrganismos benéficos, reduz o estresse sistêmico, inibe os potenciais agentes patogênicos, melhora a barreira intestinal com consequente inibição da proliferação de células cancerosas e indução de apoptose de células mutadas.

Nutricionista: Amanda dos Santos Lima

CRN: 53.135

Instagram: @nutriiamanda

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/amanda-dos-santos-lima-791bb21a3/

*O texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete a opinião da empresa. O blog é aberto caso outro(a) profissional queira escrever um contraponto.

Cadastre-se Grátis no DietboxPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta