Influência da cúrcuma longa na doença inflamatória intestinal

O QUE SÃO AS DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, as doenças inflamatórias intestinais (DII), Retocolite Ulcerativa e Doença de Crohn, causam uma inflamação crônica no intestino, porção onde ocorre a absorção de nutrientes. Na DII a resposta imunológica ocorre de forma inadequada desencadeando a inflamação e prejudicando o funcionamento esperado do órgão afetado. 

O termo doença inflamatória intestinal (DII), descreve duas doenças crônicas inflamatórias de origem idiopática, que são: Retocolite Ulcerativa (RCU) e Doença de Chron (DC). Ambas doenças estão relacionadas à quadros de má absorção de nutrientes. A RCU evolui alternando períodos nos quais o paciente se encontra em fase de agudizações graves e períodos de remissão, nos quais a doença está mais controlada. Existem diferenças nas características clínicas de entre ambas doenças, porém, possuem uma complicação em comum: a carcinogênese. 

RETOCOLITE ULCERATIVA(RCU)DOENÇA DE CHRON(DC)
Dor abdominalDiarréia crônica
Urgência evacuatóriaDor abdominal
Diarréia Perda de peso
Sangue nas fezesFístulas

Fonte: Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD).

Figura 1 – A – Cólon normal; B – Retocolite Ulcerativa; C – Doença de Crohn.
Fonte: MAHAN e RAYMOND, 2018

A CURCUMINA, UM COMPOSTO PRESENTE NA CÚRCUMA

A Curcuma longa L. é um composto bioativo que demonstra resultado promissor na redução do processo inflamatório. Ultimamente, seu composto ativo, curcumina, tem recebido atenção no que diz respeito à prática clínica devido aos diversos estudos demonstrando o potencial terapêutico que inclui efeitos antioxidante e anti-inflamatório. Porém, estudos em humanos são escassos.

A curcumina é a substância ativa da cúrcuma, uma planta muito utilizada na culinária indiana, sendo famosa por sua cor amarelo-ouro e seu sabor picante. A cúrcuma também é conhecida como açafrão-da-terra, açafrão-da-índia, turmérico, raiz-de-sol e gengibre amarelo. É um polifenol lipofílico, praticamente insolúvel em água, prontamente solúvel em compostos orgânicos como acetona e etanol e bastante estável em pH ácido do estômago. O uso da curcumina na prática clínica ainda se encontra em investigação, tanto em terapia combinada com outras drogas quanto somente ela. 

AÇÃO ANTI CARCINOGÊNICA DA CURCUMA

Acredita-se que a ação anti carcinogênica da curcumina se dá através da inibição da NF-kB pela AMPK. A AMPK é responsável pela homeostase das células, ou seja, regula o corpo evitando fatores degenerativos. O NF-kB ou fator nuclear kappa B, é um fator de transcrição que controla a expressão gênica responsável por processos inflamatórios.

Um exemplo da ação protetora da curcumina contra a carcinogênese, é a combinação de curcumina com anticorpos anti-EGFR em pacientes com carcinoma de células escamosas foi descrita como uma estratégia altamente eficaz no controle da doença.

Muitos nutracêuticos modificam a composição da microbiota e podem interferir na saúde dos pacientes, e que a suplementação na dieta com curcumina determinou mudança significativa na microbiota intestinal aumentando o crescimento de Lactobacillus, apesar do paradoxo entre a baixa biodisponibilidade sistêmica da curcumina e suas atividades farmacológicas amplamente relatadas. 

RESULTADOS DA SUPLEMENTAÇÃO DA CURCUMA LONGA

Com isso, conclui-se que o tratamento para DII minimiza sintomas e aumenta a qualidade de vida, diminuindo a progressão da doença e risco de complicações e o uso dos fitoquímicos das plantas no trato gastrintestinal traz melhoria na qualidade de vida, principalmente quando em conjunto com plano dietético individualizado. Após a revisão bibliográfica, sugere-se o uso da Curcuma longa L. no tratamento das doenças inflamatórias intestinais Retocolite ulcerativa e Doença de Crohn para melhora da qualidade da microbiota intestinal e redução do risco de malignidades como câncer fazendo uso de suas propriedades terapêuticas antiinflamatórias, antioxidantes e anticarcinogências. Atualmente a dose recomendada é de 2g ao dia de Curcuma longa L. para que possamos ingerir a quantidade ideal de compostos, garantindo assim suas propriedades benéficas.

Nutricionista: Giovanna Abreu – CRN: 20100339

Instagram: @gio.mabreu

Site: https://dietbox.me/pt-BR/giovanna-abreu

*O texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete a opinião da empresa. O blog é aberto caso outro(a) profissional queira escrever um contraponto

Cadastre-se Grátis no Dietbox

Deixe uma resposta