Como utilizar a nutrição comportamental na prevenção e enfrentamento de recaídas durante o processo de emagrecimento?

Quem inicia uma dieta ou um programa de reeducação alimentar para emagrecer pode cometer mais deslizes, se sentir culpado e correr o risco de jogar tudo para o alto. Nesse momento surge a Nutrição comportamental, pois por causa dos pensamentos sabotadores, um simples deslize pode custar caro e eles geralmente surgem desta forma: “só mais essa vez”, “hoje eu mereço”, “amanhã eu compenso”, “não vai adiantar fazer esse sacrifício”.

Saiba que esses pensamentos têm relação com as suas crenças e estas podem ser aliadas ou não no controle de impulsos. Por esse motivo, na nutrição comportamental é fundamental acreditar que não é preciso sofrer para emagrecer e que você não precisa se punir por algo que saiu diferente do planejado. Essa atitude te ajudará a retomar seu objetivo.

Estratégias para mudanças de comportamento

É muito importante estar preparado para enfrentar as recaídas. Sim! É esperado que elas aconteçam, mas você precisa ter o seu objetivo bem definido, ou seja, o quanto emagrecer é importante ao ponto de você persistir e se comprometer com o processo até o fim, independente do que acontecer.

Um ponto importante é a antecipação de gatilhos que te fazem sair do planejamento, vou dar um exemplo: “Como não tive tempo de comprar comida para fazer o jantar, eu vou pedir um delivery”. Essa fase exige algumas mudanças e você precisa estar disposto a organizar a sua lista de compras, o preparo e armazenamento das refeições, a planejar os lanches para levar para o trabalho e assim por diante. Isso vai evitar que você faça escolhas não tão saudáveis com maior frequência.

Uma outra estratégia é conhecer os sinais relacionados com a fome e saciedade, e utilizar o diário alimentar como aliado para você monitorar o que comeu e como comeu, e com isso refletir sobre tudo o que te levou a comer aquele alimento e a buscar soluções para mudar este comportamento. Quando existe uma dificuldade para colocar esta mudança na prática, o profissional deve estar disposto a te escutar sem julgamento e a te ajudar no que for preciso.

Nutrição como facilitador de mudanças

Além disso, o nutricionista poderá te ajudar a mudar os pensamentos automáticos que podem te levar à recaída ou seja, a olhar para as mudanças positivas obtidas durante o processo. Um exemplo de pensamento automático: “Mais uma vez não resisti ao chocolate” pode ser modificado para “Eu não resisti ao chocolate, mas comi um pedaço pequeno e me senti bem”. 

Desta forma, o aconselhamento nutricional com foco em mudanças de comportamentos pode te ajudar a emagrecer de forma saudável. Mudar os hábitos alimentares exige dedicação e manter as mudanças não é algo simples, pois envolve mudanças no corpo, nos pensamentos e nos sentimentos, mas com tempo você terá autonomia para se alimentar sem ter medo da recaída e do ganho de peso.

Nutricionista Marcela Serafim

CRN: 17.118

Facebook: https://www.facebook.com/marcelaserafim.nutri

Instagram: @nutri.marcelaserafim

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/marcela-serafim-29436860

*O texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete a opinião da empresa. O blog é aberto caso outro(a) profissional queira escrever um contraponto.

Cadastre-se Grátis no DietboxPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta