Síndrome do intestino irritável e a Nutrição funcional

A síndrome do intestino irritável (SII) é uma desordem gastrintestinal funcional muito comum. A fisiopatologia da doença ainda não é claramente explicada.

Sabe-se que ocorrem várias alterações na motilidade gastrintestinal. Além da hipersensibilidade visceral temos diversos outros fatores correlacionados a patogênese dessa doença, como:

  • os reflexos intestinais alterados,
  • as desordens psicológicas,
  • o desequilíbrio endócrino,
  • as intolerâncias e alergias alimentares (como à lactose e ao glúten),
  • as infecções gastrintestinais e a disbiose intestinal (microbiota alterada)

Isso interfere no movimento normal dos alimentos e na sua excreção, permitindo que haja um maior acumulo de muco e toxinas no intestino. Dentre os sintomas que podem aparecer na SII temos:

  • dor abdominal,
  • constipação ou diarreia
  • alternância entre constipação ou diarreia
  • muco nas fezes,
  • urgência evacuatória,
  • distensão abdominal e flatulência (gases).

Sabe-se que algumas alterações realizadas na dieta do indivíduo portador da SII (Síndrome do intestino irritável) podem trazer melhora dos sintomas. Essas alterações incluem: retirada de gordura e de alimentos flatulentos, dieta específica aplicada pelo nutricionista (FODMAP) e aumento da ingestão de líquidos.

A dieta FODMAP consiste em carboidratos fermentáveis que se encontram em uma grande quantidade de alimentos. Eles são dificilmente absorvidos pelo intestinal delgado, produzindo gases e sintomas da SII.

Tratamento para a Síndrome do intestino irritável

O tratamento da Síndrome do intestino irritável é determinado pelo tipo e intensidade dos sintomas, com uma abordagem psicossocial. É necessário observar a relação existente entre os sintomas e os alimentos consumidos. Alguns alimentos como o café, o álcool, os vegetais formadores de gases, a lactose, os adoçantes e alimentos dietéticos, orientando a restrição destes se necessário.

Quanto ao uso de probióticos, seu valor terapêutico tem sido verificado no alivio de sintomas gastrintestinais. Sendo que a microbiota benéfica endógena enquanto fermenta o substrato, não aumenta a produção de gases e nem possui efeito osmótico. Efeitos estes que são efeitos positivos no caso de pacientes que apresentam aumento da fermentação colônica. Dessa forma, probióticos específicos conforme os sintomas do paciente tem sido utilizados com efetividade na prevenção e no alivio de diversos episódios clínicos na SII.

Nutricionista Renata Gayer

CRN – 8: 5303

Instagram: @nutricionistarenatagayer

*O texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete a opinião da empresa. O blog é aberto caso outro(a) profissional queira escrever um contraponto.

Conheça a Dieta Low FODMAPS e veja como ela pode ajudar no tratamento da SII.

Cadastre-se Grátis no DietboxPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta