Como cobrar pelo atendimento nutricional ou qual o valor do seu trabalho?

Como cobrar pelo atendimento nutricional ou qual o valor do seu trabalho?

O preço de uma consulta com nutricionista pode ser uma dúvida muito comum para os profissionais. Como cobrar pelo seu trabalho? O que deve ser levado em conta? Essas questões são recorrentes nas mais diversas áreas. Os diferentes graus de experiência, especialização, atualização e educação continuada, bem como o tipo de formação, fazem muita diferença na hora de calcular o preço da prestação do serviço.

Com os nutricionistas não é diferente. Apesar de haver uma tabela com recomendação de valores a ser seguida, estes devem incluir também aspectos como a valorização do trabalho e tudo o que o profissional oferece ao cliente. Mas como calcular esses valores, ou seja, como mensurar o peso do que é ofertado?

Claro que com a prática e a passagem dos anos, a formação de preço torna-se praticamente intuitiva, na perspectiva do mercado, mas para quem está começando essa pode ser uma grande dificuldade. Veja algumas dicas para calcular o valor do seu atendimento nutricional.

Como calcular o preço de uma consulta com nutricionista?

Definir de forma criteriosa o preço da sua consulta é parte importante da estratégia de carreira dos nutricionistas. Embora o serviço esteja ligado à saúde, o profissional precisa se pautar em métodos atuais do mercado para definir o valor correto para o atendimento. Assim, precificar de forma equilibrada é fundamental para o sucesso.

Buscar orientações e informações na hora de formular o preço da consulta é importante, já que os clientes precisam observar os valores disponíveis para decidir em qual consultório ir. Por isso, separamos algumas dicas para ajudar você na hora de definir o preço da consulta nutricional.

Avalie as despesas do empreendimento

Manter um consultório funcionando exige bastante atenção nos custos, que se renovam regularmente. É preciso avaliar as despesas e entender que elas podem ser categorizadas tanto em fixas quanto em variáveis. Para a primeira, é preciso considerar todo valor que não varia em determinado período, mantendo-se estável ao longo do tempo, como:

  • aluguel;
  • contas de água, luz e internet;
  • materiais para atendimento;
  • salários e encargos trabalhistas;
  • tributos e impostos.

Já nos custos variáveis estão todos os valores que diminuem ou aumentam em função da produção, como campanhas de marketing, despesas pontuais, instalação de ferramentas novas e outros.

Todos esses gastos mensais precisam ser considerados na hora de calcular um valor para a consulta nutricional do seu consultório, já que tudo é considerado investimento feito para melhor atender seus pacientes.

Calcule a margem de contribuição

Uma das maneiras de entender como calcular o preço da consulta com nutricionista é estipular um percentual, conforme despesas, custos e todas as receitas geradas no consultório. Como referência você pode usar os pagamentos à Margem de Contribuição (MC). O cálculo obedece a seguinte fórmula:

  • MC = Receitas – (Custos fixos + Custos Variáveis)

Entenda o perfil demográfico

Além de usar os cálculos e gastos financeiros para definir o preço da sua consulta, é preciso também considerar fatores externos, como o perfil demográfico da região em que o seu consultório está localizado.

Espaços profissionais em regiões de classe média alta, por exemplo, podem precificar tendo em vista o maior poder aquisitivo dos moradores e frequentadores da área, além do custo mais elevado que é possível atender nessa localidade. A mesma coisa vale para cidades consideradas centros populacionais ou interiores, com preços diferenciados para os serviços.

Conheça a concorrência e o público-alvo

Ainda pensando em localização e demanda para estratégia de precificação, entender quem é seu público-alvo e a sua concorrência ajudará você a pensar melhor os valores para a consulta nutricional.

Verifique se existem outros nutricionistas atuando no entorno e quanto eles cobram pelos atendimentos. Além de entender o valor de mercado, é interessante que você compreenda a disponibilidade dos profissionais, pois assim você consegue oferecer novidades e diferenciais para os clientes da região.

Quais valores mínimos a tabela da FNN determina?

Como precificar não chega a ser uma disciplina na maioria das instituições de ensino, mas com certeza é uma dificuldade para quem ingressa no mercado. Afinal, como repassar para o cliente um valor justo para seus honorários?

A primeira coisa a se fazer, portanto, é prestar atenção na tabela da Federação Nacional dos Nutricionistas (FNN), que estabelece os valores mínimos que devem ser praticados pelo nutricionista. Isso já é um bom começo, já que ela é uma recomendação do próprio Conselho Federal e dos sindicatos da área em cada região.

Fique de olho também nos projetos de lei (PLs) que tramitam em relação ao assunto na Câmara dos Deputados. Atualmente há apenas um, o PL nº 6819/2010, que altera a Lei nº 8.234, de 17 de setembro de 1991, propondo jornada de 30 horas semanais, um número mínimo de nutricionistas em determinadas áreas de atuação e assegura o adicional de insalubridade ao nutricionista. O PL nº 5439/2009, que dispunha sobre o piso salarial do nutricionista, propondo o valor de R$ 4.650, foi arquivado em 17 de setembro de 2015.

Procure acompanhar o mercado

Acompanhar o mercado é essencial para você estabelecer um valor médio, de acordo com os valores cobrados por nutricionistas que tenham um perfil profissional parecido com o seu. Pergunte aos colegas de profissão ou ligue e pergunte como se fosse um cliente.

No entanto, se você criar diferenciais, poderá acrescentar valor sobre eles, como uma consulta especializada, maior tempo de dedicação, uso de aplicativos compartilhados pelo cliente que aumentam o grau de interatividade, ou serviços diferentes, como acompanhamento às compras do mercado ou disponibilidade on-line em horários estendidos.

Consulta de retorno deve ou não ser cobrada?

Apesar de não haver legislação específica em relação ao assunto, o Conselho Regional de Nutrição (CRN) recomenda que não haja cobrança de consultas realizadas em decorrência dos procedimentos iniciais de avaliação, diagnóstico nutricional e prescrição da dieta.

Da mesma forma, no entanto, o paciente deverá ser informado sobre o prazo em que a consulta de retorno deverá ocorrer, geralmente dentro de um período de 30 dias. Para quem atua com planos de saúde, a Resolução RN/259/2011/ANS, Art 3° § 3º estabelece que fica a cargo do nutricionista o estabelecimento do prazo para essa consulta de retorno.

Como criar cada vez mais diferenciais?

Cursos, trabalhos publicados e títulos, por exemplo, são diferenciais que influenciam diretamente na formação de preço, da mesma forma que o índice de sucesso de seus tratamentos nutricionais — porque assim você fortalecerá a sua marca, o seu nome no mercado. No entanto, lembre-se que, quanto maior o grau de fidelização dos seus clientes, mais fácil será ter um preço de consulta e serviços compatíveis com o seu nível de expertise.

Uma boa dica para criar diferenciais é utilizar softwares para nutricionistas, que aumentam o engajamento do cliente ao tratamento, potencializando as chances de sucesso. Com o Dietbox você tem na palma da mão ferramentas para criar diferenciais na hora de calcular seu preço e atender o mercado, como:

Conheça o Dietbox e experimente uma nova forma de criar bons diferenciais de atendimento e calcular melhor o preço da consulta com nutricionista para seu consultório.

Se você gostou deste conteúdo e quer entender melhor como podemos ajudar você a transformar positivamente a vida de várias pessoas, entre em contato e converse com um de nossos especialistas!

Cadastre-se Grátis no Dietbox

Deixe uma resposta