Diabetes gestacional – o que você precisa saber

Acabamos de passar pelo mês Novembro Azul, que também é o mês de conscientização e prevenção ao Diabetes. E aqui gostaria de falar sobre um tipo de diabetes que acomete muitas mulheres, que é a Diabetes Mellitus Gestacional (DMG).

Ela é assim denominada por ter início ou diagnóstico durante a gestação, sendo uma condição na qual os níveis da glicemia (açúcar) no sangue estão elevados. Pode acontecer em qualquer estágio da gravidez, sendo mais comum no segundo ou terceiro trimestre. 

Mas por que ela surge? A principal causa é a resistência à insulina devido à ação de alguns hormônios placentários, principalmente da progesterona. A mulher continua produzindo insulina, mas essa apresenta dificuldade para levar a glicose às células devido à ação desses hormônios.

Existem também alguns gatilhos para o desenvolvimento da DMG, como a mulher ter sobrepeso, obesidade, comer em demasia ou até mesmo ter síndrome dos ovários policísticos. Mas isso não quer dizer que toda mulher que apresenta esses fatores desenvolverão DMG. 

E como deve ser a alimentação na diabetes gestacional?

– Deve ser baseada em alimentos com baixo índice glicêmico (IG), preferindo alimentos fontes de fibras, como os grãos e cereais integrais (arroz integral, quinoa, farelo de aveia, psyllium, hortaliças e frutas).

– Consumir de 3 a 5 porções de frutas por dia, preferencialmente as de baixo IG: maçã, pera, ameixa, morango, pêssego, mirtilo, amora, abacate. Se consumir outras com maior IG, incluir fonte de fibras, como a chia e o psyllium.

– Ter uma alimentação anti-inflamatória, rica em vegetais coloridos e crus (higienizar bem antes do consumo), de preferência orgânicos (se comer fora, levar os vegetais bem higienizados de casa);

– Apostar em gorduras boas: castanhas; sementes de gergelim, girassol, chia, abóbora, (cuidado com a linhaça, pois possui alguns compostos que possuem relação com abortos);

– Evitar refrigerantes, açúcar, mel, sobremesas com açúcar, alimentos feitos com farinha branca como pães, biscoitos, bolachas, bolos, tortas… evitar também gorduras saturadas como frituras, salgadinhos e embutidos.

Outros cuidados com a alimentação na diabetes

Além da alimentação, é muito importante a gestante fazer exercícios físicos, respeitando-se as contraindicações obstétricas, para ajudar também no controle da glicemia.

Mas atenção, essas dicas não substituem a consulta com nutricionista. Somente esse profissional pode lhe passar um plano alimentar balanceado e rico em vitaminas, minerais e outros nutrientes específicos, com a quantidade de carboidratos específicos, podendo até mesmo passar suplementação conforme necessário.

Geralmente a DMG desaparece após o parto, porém deve-se ter muito cuidado para que ela não retorne no futuro. Reveja o seu estilo de vida e procure um profissional para lhe ajudar.

*O texto é de inteira responsabilidade do(a) autor(a) e não reflete a opinião da empresa. O blog é aberto caso outro(a) profissional queira escrever um contraponto.

Nome Nutricionista: Talita Miranda – CRN: 10/7349

Facebook: Talita Miranda

Instagram: @talitamirandanutri

Cadastre-se Grátis no Dietbox

Deixe uma resposta