Saiba como fazer a avaliação em nutrição de pacientes graves

A maneira que um nutricionista conduz as consultas e os resultados obtidos são fatores muito relevantes para mostrar a capacidade como profissional — resultando em fidelização de clientes e reconhecimento na área. Dentro disso, uma das habilidades mais indispensáveis é a avaliação em nutrição de pacientes graves.

Esse processo consiste em coletar diversos dados sobre o paciente e analisá-los em conjunto para conduzir um diagnóstico, determinar o estado nutricional em que ele se encontra e como está a gravidade da situação. A partir disso é possível elaborar um plano alimentar adequado para as necessidades dele de forma a obter melhorias na saúde.

Quer saber quais são as principais ferramentas que você, como nutricionista, pode apostar para fazer essa avaliação de pacientes graves? Então, confira a seguir o conteúdo!

Antropometria

As medidas antropométricas são muito úteis em qualquer avaliação em nutrição. Isso se deve ao fato de que podem ser coletadas facilmente no consultório durante o atendimento, amplitude das ferramentas existentes e a garantia de dados muito relevantes acerca do estado nutricional do paciente.

A antropometria costuma incluir informações de composição corporal por meio de dados como o Índice de Massa Corporal (IMC), reservas de gordura, altura, peso e outros. Porém, é importante ressaltar que a gravidade do caso pode ocasionar em invalidação de algumas ferramentas, sendo essencial aliá-las a outros métodos para obter resultados precisos.

Bioimpedância

Essa ferramenta de avaliação consiste em uma espécie de balança que envia correntes elétricas pelo corpo do paciente. É a facilidade ou dificuldade que ela tem de passar por todo o corpo que determina os dados.

As informações fornecidas pela bioimpedância são: peso, densidade óssea, massa magra, hidratação, gordura visceral, massa gorda e taxa metabólica basal. Tudo isso é extremamente essencial para determinar o estado nutricional.

Exames físicos

Uma das avaliações mais aprofundadas e que exigem maior conhecimento é o exame físico nutricional. Ele consiste em analisar diversos tipos de sinais e alterações no corpo e pele do paciente.

Durante esse exame o profissional deve avaliar mucosas, unhas, cabelo, alteração na pele, bem como procurar por sondas, injúria, drenos e outras alterações. São os resultados coletados que determinam se o paciente está desidratado ou desnutrido para poder conduzir um tratamento eficiente.

Testes laboratoriais e dados bioquímicos

Para complementar ainda mais os dados obtidos e garantir informações precisas sobre ingestão de nutrientes, alterações hormonais, funcionamento dos órgãos, presença de doenças, condição metabólica e outras questões, essas ferramentas são ótimas aliadas. 

A relevância que elas têm no atendimento se deve não somente pelo fato de que auxiliam no diagnóstico e intervenções, mas também porque são de grande utilidade para acompanhar os resultados obtidos nos casos de pacientes em um estado nutricional grave.

Não dá para negar que avaliação em nutrição de pacientes graves é um processo que garante um bom trabalho e bons resultados que levarão à fidelização e reconhecimento. Porém, como esse é um processo bastante complexo, vale contar com softwares, como o Dietbox, para garantir a obtenção de dados precisos sobre o paciente em acompanhamento. 

Gostou de entender melhor como é feito esse processo tão importante para um nutricionista? Não deixe de entrar em contato conosco para conhecer o software que temos para facilitar o seu trabalho!

Cadastre-se Grátis no DietboxPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta