Veja as consequências do isolamento social na alimentação das pessoas

A pandemia e o isolamento social impactaram a maneira como as pessoas têm se comportado dentro de casa e, com isso, aconteceram algumas mudanças significativas na alimentação das pessoas.

Nesse contexto, o papel do nutricionista se tornou ainda mais importante para ajudar seus pacientes a mudarem os novos hábitos que foram adquiridos com o isolamento social e auxiliar na reversão desse quadro.

Por isso, vamos abordar algumas mudanças e características que o isolamento social provocou na forma como as pessoas têm se alimentado. Acompanhe o texto e saiba mais.

Ocorreu um aumento dos transtornos alimentares

Com a obrigatoriedade de permanecer em casa e a drástica mudança sofrida na rotina da maioria das pessoas, houve um aumento da possibilidade de as pessoas desenvolverem transtornos alimentares.

Em especial, no que se refere à compulsão alimentar, que consiste na prática de comer de maneira desenfreada e sem controle, mesmo sem sentir fome.

Vale dizer que a compulsão alimentar, muitas vezes, decorre de quadros de ansiedade e de outros problemas psicológicos que podem ter sido acentuados em virtude do isolamento social e das consequências da pandemia na sociedade, de modo geral.

Cresceu a preferência por comidas prontas e rápidas

Outra consequência do isolamento social prolongado foi o aumento de pedidos nos aplicativos de entrega de comidas (delivery) e a busca por comidas prontas e rápidas que não exigem muito trabalho, nem longos períodos na cozinha.

Em paralelo, o que pudemos observar também foi o crescimento pela procura das conhecidas “comfort foods”, comidas com gosto caseiro que trazem acolhimento e sensação de bem-estar.

Ocorre que, muitas destas comidas no estilo “comfort” são altamente calóricas, como é o caso das feijoadas, cozidos, cremes, brigadeiros, curaus e mingaus.

Aumentou o desânimo para cozinhar em casa

As pessoas tinham suas rotinas estabelecidas e, com o isolamento social, houve uma mudança profunda nos hábitos e no ritmo de vida de todos. Alguns saíam de manhã para trabalhar e levavam suas marmitas saudáveis preparadas no dia anterior.

Com a possibilidade de trabalhar em home office, muitos ficaram desanimados e deixaram de preparar suas refeições, passando a recorrer às comidas congeladas, cheias de conservantes, corantes e com alta quantidade de gordura e sódio.

Mudou o comportamento alimentar das pessoas

O comportamento mudou e com ele mudaram também as maneiras de as pessoas se alimentarem. Muitos adquiriram o péssimo costume de “beliscar” a todo momento, aumentando de forma considerável o número de calorias ingerido por dia.

Essa forma de se alimentar, praticamente sem pausas, resultou em um ganho de peso expressivo em um curto período, o que não é nada saudável. Especialmente porque os alimentos escolhidos estão longe de serem nutritivos, ao contrário, normalmente correspondem à categoria de calorias vazias.

Por fim, enfatizar o importante papel do nutricionista para ajudar seus pacientes nesse sentido, já que uma boa alimentação é a base para melhorar a imunidade e aumentar as chances de combater o novo coronavírus.

Agora que você já sabe quais são as principais consequências do isolamento social na alimentação das pessoas, compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude seus amigos com as nossas informações!

Cadastre-se Grátis no DietboxPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta